Mensagens Psicografadas

Fundação Espírita Dr. Bezerra de Menezes

 

Os tempos são chegados

 

Queridos de meu coração. Que a Paz de Nosso Senhor Jesus Cristo em vossos corações esteja.

Nestes graves momentos de mediunidade sutil e despercebida, necessário se faz redobrar a vigilância. As sugestões sutis e sorrateiras afloram no consciente do homem. E vemos a sociedade tremer e temer. Parece que o mal toma de assalto nossa querida Terra.

Lembremos que vivemos um momento de transição. E a dor e o sofrimento mais que um látego, é um convite a reflexão.

São irmãos renitentes e empedernidos que deixam as regiões sombrias, criadas por consciências atormentadas, para que em última instância façam sua escolha. Buscar a verdade que liberta ou entregar-se novamente à anestesia da ilusão.

Justas são as Leis do Criador, oremos por todos nós que temos as vidas entrelaçadas. São os feridos e desequilibrados de ontem que buscam seus algozes no hoje. Vigiem amem, sirvam.

Aqueles que persistirem nos equívocos do pretérito serão daqui apartados e degredados para mundos inferiores, não por castigo, mas para seu próprio bem e evolução desse novo mundo. Assim como conosco já ocorreu.

Aos médiuns que servem de intermediário entre os dois planos, cautela, humildade e trabalho, que Deus convosco esteja.

Aos dialogadores que servem de verdadeiros psicoterapeutas de espíritos doentes, vivam suas palavras para que não sejam elas palavras vãs, palavras sem a força da verdade.

Queridos, não abram concessões, por menor que sejam.

Os tempos são chegados. O progresso científico nunca cresceu tanto em tão curto espaço de tempo. Porém a moral e o amor ainda não atingiram em nossa sociedade tal crescimento. Ai está a raiz dos sofrimentos que vos assolam.

Jovens que reclamam direção no bem encontram o desfalecimento da família. Família que hoje está submetida à vontade egoísta de satisfação pessoal em detrimento do crescimento em conjunto de almas entrelaçadas pelos séculos de convívio.

Como resultado, o que vemos são corações doídos e conturbados na carne e no plano maior.

Sois espiritistas, sigam Jesus.

Antes de se entrelaçarem no véu do esquecimento que a matéria traz, verificaram com atenção o plano de vida que lhes foi apresentado. Felizes e esperançosos aceitaram o desafio de construir a própria Paz.

Mediunidade é compromisso. Não repitamos os equívocos de outrora.

Abraçaram a Doutrina dos Espíritos, saibam então da responsabilidade que isto vos trás.

O espiritismo é o Cristo redivivo, que volta ao seio da humanidade pelas vossas mãos. De braços abertos. Não crucificado. Mas sim, de braços abertos no intuito de agasalhar em seu peito as dores da vida. É o Amor a vos convocar a labutar nesses momentos de transição.

Cuidado com as sutilezas e com os convites suaves que o mundo conturbado vos faz.

Vocês, filhos queridos, que para essa humilde reunião de Amor foram convidados e por amor dirigem esta casa, acautelem-se. Amem. Sejam firmes em seus propósitos.

São trabalhadores da ultima hora, porém receberão o mesmo salário dos tarefeiros da primeira hora. Basta para tal, fidelidade, humildade, dedicação à causa do Senhor.

Que possamos levar nos recônditos da alma as lições de hoje. Que nos mostraram a dor, o ódio resultado da incompreensão, a revolta motivada pelo equívoco. Tivemos também as palavras suaves e reconfortantes, os conselhos dos benfeitores espirituais. Que esses exemplos sejam para todos uma grande lição de vida e transformação.

Assim como alertamos das influencias perniciosas, falamos agora da companhia benfazeja de companheiros fiéis e incansáveis, cheios de amor, que tentam sempre se fazer ouvir em nossas mentes. Esta sintonia é o segredo de nossa felicidade.

Coragem, fidelidade e firmeza de opinião.

Pois junto de nós sempre está Nosso Senhor Jesus Cristo, que nos convida a junto Dele, consolar, confortar, esclarecer, curar e iluminar.

Filhos amados, não abram mão dessa honraria que vós é dada pela bondade do criador. Grandes são as vossas responsabilidades neste grave momento. E maior será a ventura daqueles que aceitarem o convite de trabalho na vinha do Senhor.

Recebam este abraço paternal desse humílimo servo do Senhor.

Bezerra.

 

 

Mensagem recebida na FEBEME em 24/02/15.

Mensagem de Orientação à casa

 

Queridos de meu coração!

Tendes oportunidade de defrontarem-se com os intrincados liames dos destinos humanos, que se entrelaçam formando grande rede a arrebatar corações ao arrependimento e a reparação.

Encontram-se unidos pelas justas e soberanas leis universais corações aflitos que necessitam de mãos operosas a desvencilhar-lhes de terríveis emaranhados que a iniquidade proporcionou.

São muitos os aflitos que choram por consolação. São muitos os que anelam por conforto e paz. São inúmeros os que sonham com dias melhores.

E eis aqueles que querem trabalhar em nome do Senhor. 

Sabemos que não podemos resolver as aflições do mundo. Sabemos que não podemos amparar todos os estômagos vazios que perambulam por nossa Terra.

Sabemos que não podemos terminar com as doenças que visitam os corpos.

Mas deveríamos saber e entender que temos algo a realizar.

Não vos pedimos grandes coisas. Pedimos apenas migalhas de vosso amor.

Não temos capacidade de acabar com a fome, mas podemos doar o pão a aquele que nos procura. Não temos condição de acabar com as doenças dos homens, mas podemos aliviar corações sofridos, esclarecendo o porquê dos fatos.

Não podemos atender a todos os que adentraram a espiritualidade em confusão, mas podemos com nosso bom pensar propiciar-lhes uma psicosfera melhor.

Tudo o nós pedimos são migalhas de amor. E que bem sabemos podem doar.

O amor puro e que emana dos sublimes ensinos de Jesus e que agora é revivido e relembrado pela doutrina dos espíritos, este é o remédio que a humanidade necessita.

Amem e ponham-se a edificar com sua doação de amor, o reino de paz prometido por Jesus aqui na Terra.

Lembrem-se sempre: O Criador utiliza-se da própria criatura para atender a criatura.

 


Bezerra / 06/05

Natal 2001

 


Almas queridas de meu coração! Desejo vos neste Natal PAZ!
Lembrem – se que a paz na Terra é conquistada pelos corações de boa vontade. E que ninguém olvide a tua parcela de contribuição na edificação do Reino de Deus.

Sabemos que não podem acabar com a fome no mundo. Mas podem doar um caldo reconfortante aos estômagos famintos que se encontram ao seu redor. Tuas mãos podem ofertar o pão às pessoas que pelas leis de reconciliação Deus colocou em teus caminhos.

Não podem bem sabemos secar todas as lágrimas que rolam nas faces na Terra. Mas podes enxugar aquelas que a ti se apresentarem. Podes com a conversa amiga serenar corações aflitos para que estes não mais chorem.
Não podem recolher em seus lares nestes tempos difíceis todos os deserdados do caminho. Mas podes recebê-los como irmãos e acolhe-los em seus corações.

Tudo o que o nosso Mestre querido lhes pede são as migalhas que no dia a dia lhe pode escapar das mãos.

Nós os espíritos espíritas lhe rogamos migalhas de vossos bons sentimentos. Pois eles são muito importantes à nossa causa.

Olhem o mar! Que é formado pela união de pequenas e ínfimas gotículas, mas que ao se agruparem formam toda a grandeza e beleza que reconforta a nossa visão com tão belo painel.

O Reino de Deus a exemplo do mar é formado por migalhas que possam ofertar. Migalhas de boa vontade, migalhas de doação, migalhas de amor.

Queridos! Compreendam essa lição o quanto antes, pois assim caminharão mais depressa na senda luminosa do Mestre.

Trabalhem em nome de Jesus, para Jesus e com Jesus; com a certeza que se assim procederem jamais estarão a sós.

O trabalho cristão sempre encontra ecos em nosso coração. E por isso querida almas da Terra, queridos de meu coração, sempre que obrarem por Nosso Senhor Jesus Cristo, contem com a humilde colaboração deste simples servo do Senhor.

Muita PAZ! E como ainda ouvimos os ecos de Belém: “Paz na Terra aos homens de boa vontade.” Esperamos que compreendessem a lição e conquistem a tão desejada PAZ!

Bezerra

 

Mensagem recebida durante a festa de Natal das famílias assistidas da Fundação Espírita Dr. Bezerra de Menezes – FEBEME - 15/12/2001.

Natal 2000

 

Irmãos em Jesus!

Agradeço de coração todo empenho e amor aqui distribuído.
Almas da Terra, não se esqueçam Jamais que o Amor é a alavanca que move o mundo.

Ver os olhos brilhando dos pequeninos endividados do passado faz com que nossos corações se encham de júbilo!

Trabalhamos bastante, mas nada poderia se concretizar se não fossem suas mãos a construir nossos sonhos aí na Terra. Terra que sofre e chora, pois passa por momentos de transformações. É belo notar nesses momentos conturbados a grandiosidade do Amor de Deus, nos mostrando que se há aflitos, expurgando provas do passado, basta que haja semelhante, com o mínimo de boa vontade para que uma leve brisa refrescante sopre nos corações sofredores aliviando a angustia.

Este é o Espírito de Natal!

Distribuíram brinquedos simples e baratos, que encheram os corações de alegria, não pelo valor, mas sim pelo carinho com que foram ofertados.
Amar Jesus em seu semelhante é tarefa difícil de ser compreendida nos dias de hoje, mas vocês se esforçaram. Muito obrigado!
Este coração que sonhou com esta humílima festa, na espiritualidade, teve a boa vontade de vossos corações e a forças das mãos operosas para realizá-la na matéria.

Muito obrigado!!! Do fundo do coração desse humilde servo do Senhor, que hoje está feliz, graças a vocês, discípulos de Cristo. Digo discípulos de Cristo, porque quando o mestre esteve entre nós asseverou: _Meus discípulos serão reconhecidos por muito se amarem.

Feliz Natal! Venturosos e Cristão é o que lhes deseja o amigo de sempre. Muito obrigado.

Bezerra de Menezes

 

Mensagem recebida em 16/12/00, durante as festividades de Natal das famílias assistidas da Fundação Espírita Bezerra de Menezes